Pernambucanas investem no empreendedorismo rural

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
foto agricultora

 

100_9079

 

Quando o assunto é gestão da propriedade, as mulheres se destacam. A prova disto é o quadro de instrutoras credenciadas ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco (Senar/PE), que atualmente conta com mais de cinquenta profissionais. Elas são responsáveis pelas capacitações nos programas Empreendedor Rural, Inclusão Digital e Negócio Certo, entre outros.

Essas são ações que têm transformado a vida de mulheres como dona Lucília Lopes. Agricultura do Distrito de Uruás, em Petrolina, ela decidiu abrir mão, no ano passado, do beneficio do Bolsa Família, que já vinha recebendo há dez anos. “Que esse benefício vá para as mãos de uma pessoa mais necessitada”, comemorou a produtora, durante entrevista a TV Globo. O caso foi o primeiro de desistência voluntária do Bolsa Família, na região. O motivo que levou dona Lúcilia a cancelar a ajuda foi o incremento financeiro, resultado da capacitação rural. Trabalhando em uma horta comunitária, ela passou a ganhar R$ 150 por canteiro de coentro cultivado.

Segundo o superintendente da entidade, Adriano Moraes, é crescente o interesse das produtoras pela atualização e conhecimento. Ele relata que, entre o leque de ofertas de cursos oferecidos pelo Senar, as mulheres estão priorizando as capacitações de empreendedorismo rural. “Nosso público feminino está indo além dos cursos de artesanato, culinária e costura e demando mais os treinamentos voltados para agricultura, pecuária e agroindústria, o que demonstra um avanço do perfil como empreendedor rural”.

O Dia Internacional da Mulher, celebrado neste 8 de março, teve como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial.