Número de turmas do Senar PE dentro da Funase cresceu em 2019

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

image

 

Instituição parceira recebeu registro de elogio por oferta de treinamentos profissionalizantes em unidades socioeducativas de todo o Estado

Subiu de 11 para 14 o número de turmas do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-PE) dentro da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) em 2019. O aumento da oferta de treinamentos no comparativo com o ano anterior viabilizou a qualificação profissional de 157 socioeducandos em áreas como agricultura, jardinagem, artesanato, eletricidade e pintura imobiliária. Por conta dos resultados da parceria, que não tem ônus para os cofres públicos e aumenta as chances de inserção dos adolescentes no mercado de trabalho, a Funase entregou um registro de elogio ao superintendente do Senar-PE, Adriano Moraes.

“Temos com o Senar-PE uma parceria antiga, importante e consolidada. Em 2018, tivemos cerca de uma centena de certificados conquistados por nossos adolescentes. Em 2019, esse número cresceu e chegou a 157 vagas ofertadas. Os treinamentos dão ênfase à aprendizagem pela prática, o que é um diferencial muito importante no atendimento ao público da nossa instituição”, afirma o coordenador do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase, Normando de Albuquerque, responsável pela entrega do registro de elogio ao lado dos assessores e instrutores de cursos Rafael Souto Maior e Elaxis Duarte, do mesmo setor.

Em 2019, o Senar-PE ofertou a socioeducandos da Funase os treinamentos em Artesanato em Embalagens, Artesanato em Material Reciclável, Artesanato em Couro, Artesanato em Couro e Pele, Plantas Ornamentais e Terrário, Agricultura Orgânica, Cultivo de Olerícolas de Raízes e Bulbos, Bombeiro Hidráulico, Eletricista e Pintura Imobiliária. Os cursos foram ministrados nos Centros de Atendimento Socioeducativo (Case) situados em Abreu e Lima, Pirapama (Cabo de Santo Agostinho), Vitória de Santo Antão, Timbaúba, Arcoverde e Garanhuns, todos voltados à internação, além da Casa de Semiliberdade (Casem) Garanhuns.

Fonte: Funase