Meta da Comissão Nordeste da CNA é acelerar o desenvolvimento econômico

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Novo presidente, Pio Guerra, terá como prioridades ações de convivência produtiva no Semiárido

O presidente da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe), Pio Guerra, assumiu a presidência da Comissão Nordeste da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) com a meta de acelerar o desenvolvimento socioeconômico da região.

Ao lado do presidente da CNA, João Martins, e dos demais presidentes das federações de Agricultura do Nordeste (Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Bahia), Pio Guerra pretende ter uma forte atuação junto aos produtores rurais nas demandas do setor agropecuário.

Pio Guerra

Para ampliar o diálogo em torno das questões da agropecuária no âmbito estadual, recentemente, o novo gestor já se reuniu com representantes da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe), do Sindicato dos Cultivadores de Cana-de-Açúcar de Pernambuco (Sindicape) e da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP). Nos próximos dias, Pio Guerra provavelmente se encontrará com os representantes do setor de todo o Brasil, no Fórum Mundial da Água.

“Para que a agropecuária tenha um crescimento integrado, é necessário respeitar as singularidades e vocações de cada estado, no que se refere à produção de alimentos e, ao mesmo tempo, agilizar o fluxo de trocas comerciais na região”, afirmou o presidente.

Perfil – Natural do Recife, Pio Guerra é engenheiro agrônomo, formado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e produtor rural nos municípios de Pedra e Gravatá. O novo presidente já foi diretor e presidente da CNA e dos conselhos do Senar, do Sebrae nacional e do Sebrae de Pernambuco.

Atualmente, o gestor preside o Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas. A iniciativa é um espaço de debates, que reúne instituições empresariais, governo e sociedade na busca por soluções permanentes para tornar viável a convivência produtiva em Pernambuco e no Semiárido brasileiro.