Governador reúne-se com representantes do setor rural

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

O governador Paulo Câmara recebeu, para um almoço, o presidente da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco, Pio Guerra, o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco (Senar-PE), Adriano Moraes, e o diretor do Sindicato Rural de Petrolina, Edis Matsumoto, entre outros convidados do setor primário.

Na ocasião, foram apresentadas as demandas da classe produtora, com foco em três temas prioritários, o agravamento da seca em Pernambuco, a importância da educação rural para o desenvolvimento da atividade e o apoio a exportadores de frutas do Sertão. O encontro aconteceu na terça-feira(18).

O presidente da Faepe Pio Guerra, alertou para a necessidade de o Estado implantar ações de planejamento para os períodos de estiagem prolongada, com atuação integrada da pesquisa, instituições de meteorologia e produtores.

Guerra elencou, ainda, uma série de iniciativas que merecem atenção por parte do poder público. Entre elas, uma missão técnica ao Estado no Ceará que tem se destacado na execução das ações de convivência com o semiárido, a aplicação do estudo sobre modelagem matemática para a previsão de forragens, de autoria do professor da UFPE, Paulo Menezes, apoio para impulsionar o programa de produção de palma no município de Bodocó – o que requer incentivo de instituições governamentais e financeiras. Estudar a instalação de uma planta industrial para realizar os processos de dessalinização e reutilização de águas pluviais e, avaliar a agricultura de estufa como um modelo produtivo eficaz para a produção em larga escala, também foram medidas propostas pelo presidente.

Durante o encontro, Pio Guerra manifestou preocupação sobre a proibição da vaquejada e pediu solidariedade do governador e parlamentares a causa. “A vaquejada é muito importante para a região, quer seja no âmbito econômico, ou na nossa mais legitima forma de expressão cultural. Mas entendo que essa atividade já vem implementando medidas aperfeiçoadoras que precisam ser regulamentadas adequadamente e divulgadas, para que a sociedade se desfaça da imagem distorcida do passado”, avaliou o presidente. O presidente da Faepe, pediu também a intervenção de Paulo Câmara no sentido de apoiar o cancelamento da IN nº 26, que autoriza por 12 meses, na área de abrangência da Sudene, a reconstituição do leite em pó por indústrias de laticínios que produzam leite longa vida (UHT) e leite pasteurizado.

Já o superintendente do Senar – PE, Adriano Moraes, ressaltou a importância de capacitar os produtores do Estado. Segundo o gestor, a entidade abrange todo o território pernambucano, incluindo o arquipélago de Fernando Noronha, além dos cursos realizados em parceria com a Secretaria de Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação. “Todos os cursos oferecidos pelo Senar Pernambuco são gratuitos e disponibilizam infraestrutura e material de aprendizado completos, com foco na prática profissional e em suprir as necessidades do mercado empregatício de cada região. Esse modelo de qualificação resulta no alto índice de empregabilidade e na promoção social das pessoas do meio rural, por meio do conhecimento profissional”, destacou Adriano Moraes.

Na ocasião, o diretor do Sindicato Rural de Petrolina, Edis Matsumoto, falou sobre a necessidade de concluir a instalação de bombas flutuantes no lago de sobradinho. O reservatório abastece os projetos de irrigação Nilo Coelho e Maria Tereza, que asseguram o abastecimento hídrico a cerca de 300 produtores de médio e grande porte, e mais de dois mil pequenos produtores de Petrolina. Para o setor da fruticultura, o dirigente pleiteou a retomada do trabalho de acompanhamento das frutas exportadas, feito pelo Instituto de Tecnologia (Itep). Isso porque, o órgão exerce um papel fundamental na avaliação das uvas embarcadas de Petrolina para o mercado europeu. Por fim, Edis agradeceu o apoio de Paulo Câmara na intensificação das ações de combate a mosca das frutas.