Alternativas de alimentação animal são apresentadas no Agreste

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Dia de Campo do Projeto Forrageiras para o Semiárido exibiu experimentos da Unidade de Referência Tecnológica do município de São João (PE) 

DSC_5872

 A Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe) apresentou alternativas de forragens indicadas pela Embrapa para o plantio no Semiárido brasileiro.

Os experimentos foram exibidos na quarta-feira (31), em um Dia de Campo para mais de 140 pessoas, entre produtores, técnicos e pesquisadores. O evento aconteceu na Unidade de Referência Tecnológica (URT) do Projeto Forrageiras para o Semiárido, que está instalada na Fazenda Cachoeirinha dos Carvalhos, no município de São João, Agreste do estado.

De acordo com o presidente da Faepe, Pio Guerra, o objetivo é identificar e recomendar as forrageiras selecionadas pela Embrapa como melhores opções para o estado. O Dia de Campo contempla três estações. A primeira é o aplicativo “Orçamento Forrageiro”, ferramenta que auxilia o produtor na gestão da disponibilidade de forragem para os animais.

A segunda estação mostrou os benefícios das palmas forrageiras e lenhosas, que estão sendo avaliadas na URT. Entre elas, as cultivares Orelha de Elefante Mexicana, Orelha de Elefante Africana, IPA Sertânia e Miúda.

Na terceira e última estação, a coordenadora do projeto e pesquisadora da Embrapa, Ana Clara Cavalcanti e o também pesquisador da Embrapa, Amadeu Regitano, apresentaram as gramíneas perenes e anuais, na proteção do solo contra a erosão e melhor absorção da água. No caso das perenes, o experimento consorciado com as lenhosas “leucena” e “gliricidia”, oferece adequação a temperatura de áreas cultivadas sombreadas ou descobertas.

Para o pecuarista e técnico em Agropecuária, Sérgio Neves, o momento de aprendizado será concretizado com a plantação de leguminosas na sua propriedade, em Pesqueira. “Essas plantas garantirão o barateamento dos custos com ração, uma maior oferta  de proteína e, consequentemente, maior produtividade de leite e carne”, explicou o supervisor de Treinamentos do Senar/PE, Adriano Pontes.

O encontro reuniu participantes dos municípios de Garanhuns, Bezerros, Pesqueira, Sanharó, Buíque, Tupanatinga, São Bento do Una, Iati, Águas Belas, Paranatama, Terezinha e Pedra.

DSC_5789

Resultados – No projeto, foram instaladas 13 unidades de referência tecnológica nos estados do Nordeste e em Minas Gerais. De acordo com a CNA, o trabalho já está no segundo ano de pesquisa e os resultados preliminares já apontam boas alternativas.

O Dia de Campo foi uma realização da Faepe, com o apoio do Instituto CNA, Senar Pernambuco, Sindicato Rural de Garanhuns, Embrapa, IPA e Universidade Acadêmica de Garanhuns (UAG).