PREGÃO 02_2020 MATERIAL DE EXPEDIENTE – PROCESSO 031


PREGÃO 02_2020 MATERIAL DE EXPEDIENTE – PROCESSO 031

PREGAO01_2020 MATERIAL DE LIMPEZA-PROCESSO 029


PREGAO01_2020 MATERIAL DE LIMPEZA-PROCESSO 029

Sistema CNA/Senar debate inovação para o agro com a Embrapii


image (6)

(11/08/2020) – O Sistema CNA/Senar iniciou, na terça (11), uma aproximação com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) para encontrar soluções tecnológicas para os desafios dos produtores rurais no dia-a-dia no campo.

Durante uma videoconferência da Rede de Inovação do Agronegócio (AgroUp) com as Administrações Regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Matheus Ferreira, coordenador de Inovação do Sistema CNA/Senar, apresentou à equipe da Embrapii como funciona o AgroUp e ressaltou como possíveis parcerias com a empresa podem contribuir para atender as necessidades do campo.

“A Embrapii possui centros de pesquisa industrial e de agricultura digital habilitados em todo o país, com os quais podemos demandar soluções tecnológicas para os problemas do produtor rural. Discutimos as sinergias da empresa com nosso Sistema, com perspectiva de fecharmos uma parceria por meio do Instituto CNA.”

A Embrapii é uma associação privada, qualificada como organização social, que apoia instituições de pesquisa tecnológica fomentando a inovação na indústria brasileira. A empresa é ligada aos Ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Educação (MEC) e da Saúde.

O diretor de Planejamento e Gestão da empresa, José Luis Gordon, explicou que existem 57 centros espalhados pelo País para atender todo o Brasil. Cada centro trabalha com um foco tecnológico que atenda o setor produtivo.

“Queremos nos aproximar e entender mais o setor. Sabemos que o agro tem buscado cada vez mais tecnologia, que depende de tecnologia para aumentar a produção. Por isso, a Embrapii está à disposição para se conectar ao produtor através do AgroUp e das startups e ajudar a desenvolver soluções tecnológicas para o setor,” disse.

As unidades da empresa direcionadas para atender o agro são materiais e química, biotecnologia, mecânica e manufatura e tecnologias aplicadas. “Isso não impede que as demais unidades atendam o setor,” ressaltou Gordon.

Agora, a Rede AgroUp fará um levantamento das demandas dos produtores que se relacionem com as linhas de pesquisa das unidades da Embrapii.

“Vamos fazer um mapeamento das demandas tecnológicas que necessitam de pesquisa e desenvolvimento para apresentar à Embrapii. Além disso, podemos promover a validação de campo de soluções que estão sendo desenvolvidas antes de irem para o mercado, ou seja, será uma oportunidade fazer os testes nas propriedades rurais que estamos trabalhando a Assistência Técnica e Gerencial”, afirmou Matheus Ferreira.

Gordon, da Embrapii, acredita que uma parceria entre o Sistema CNA e a empresa é essencial para tornar o setor mais inovador e o País mais produtivo.

“Vamos nos aproximar do setor agro e nos conectar às demandas dos produtores, ajudando o agro a ter acesso às tecnologias que vão ajudar a elevar a produtividade do campo, como internet das coisas, inteligência artificial, reconhecimento facial, 5G, entre outras.”

Dando sequência à agenda de reuniões da Rede AgroUP, na próxima semana a Agência de Inovação Zetta, vinculada à Universidade Federal de Lavras (UFLA) e uma das unidades de agricultura digital da Embrapii, fará uma apresentação dos trabalhos que estão desenvolvendo para o setor.

Senar ensina cálculo da margem líquida na agropecuária


image (5)

 

(10/08/2020) – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou mais um vídeo de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) sobre a importância da margem líquida para conhecer a viabilidade econômica da atividade rural. O novo material faz parte da série sobre gerenciamento da agropecuária em tempos de pandemia.

A margem líquida é o resultado da venda da produção obtida na atividade agropecuária, ou seja, a Renda Bruta, menos o Custo Operacional Total (COT). O período considerado para análise é de um ano.

De maneira didática e objetiva, o vídeo ensina, por meio de exemplos práticos, como o produtor rural pode verificar a situação financeira da sua propriedade.

Ao verificar a viabilidade econômica em um médio prazo, é possível analisar se a renda bruta paga o custo operacional efetivo e se é suficiente para pagar os custos de depreciação e a mão de obra familiar.

O vídeo também explica que, se a margem bruta for negativa, a margem líquida também será. Se a margem líquida é positiva, a atividade está pagando as contas de custeio e os custos de depreciação e mão de obra familiar no médio prazo. Dessa forma, a atividade é viável no médio prazo.

Para saber todos os detalhes da margem líquida, veja o vídeo:

https://www.cnabrasil.org.br/noticias/senar-ensina-calculo-da-margem-liquida-na-agropecuaria

 

Sistema CNA/Senar promove live para mostrar a rotina de uma fazenda para crianças


image (4)

(12/08/2020) – As crianças têm um encontro marcado no próximo sábado (15) para um passeio virtual em uma propriedade, onde vão conhecer mais sobre a produção de alimentos e saber curiosidades sobre os animais na live “Na Fazenda – Aprenda sobre os alimentos”, às 9h.

O encontro virtual, promovido pelo Sistema CNA/Senar, tem o objetivo de aproximar as crianças do campo e mostrar como o meio rural faz parte da vida de todas as pessoas.

Na transmissão ao vivo, que será realizada no Rancho Paraná, em Brazlândia (DF), as crianças vão ver galinhas, vacas leiteiras, carneiros, cavalos, além de conhecer mais sobre a produção de ovos e leite, a importância e o benefício nutricional desses alimentos, os cuidados com o bem-estar dos animais e outras particularidades.

O técnico Thiago Campos, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), vai apresentar o espaço do rancho. A programação interativa terá duração de 1 hora e vai mostrar também o funcionamento de uma estufa de flores.

Sobre o Sistema CNA/Senar – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) é a entidade que representa mais de dois milhões de produtores rurais brasileiros e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) leva formação profissional rural, promoção social e Assistência Técnica e Gerencial gratuitamente às famílias rurais.

Para seguir o canal do Youtube do Sistema CNA/Senar receber a notificação da live, acesse:

https://www.youtube.com/watch?v=56kVASPrmgc

 

Ações complementares podem ampliar número de produtores beneficiados por assistência técnica


image (3)

(29/07/2020) – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) avaliaram que, ao complementar as ações de assistência técnica e extensão rural, milhares de produtores do País que não recebem qualquer tipo de suporte poderão ser beneficiados.

O assunto foi tema de debate, na quarta (29), durante live promovida pelo Sistema CNA/Senar, em que representantes do Senar e da Anater explicaram o conceito das duas técnicas, discutiram estratégias de atuação e tiraram dúvidas do público que acompanhou a discussão nas redes sociais.

“A metodologia de Assistência Técnica e Gerencial do Senar tem cinco etapas. É um processo educativo de caráter não formal, continuado, que alia assistência técnica e consultoria gerencial. Trabalhamos tanto a propriedade quanto a atividade produtiva como um verdadeiro negócio,” afirmou a coordenadora de Projetos da Diretoria de Assistência Técnica e Gerencial do Senar, Bárbara Evelyn.

Atualmente, a assistência técnica do Senar está presente em 25 estados, atendendo 23 cadeias produtivas e já beneficiou mais de 120 mil propriedades rurais. “A gestão dos processos produtivos busca a eficiência na utilização dos recursos, ganhos de produtividade e contribui para a geração de renda e para o desenvolvimento socioeconômico das propriedades rurais assistidas”, ressaltou.

A assistência técnica e a extensão rural da Anater têm alguns diferenciais em relação ao trabalho realizado pelo Senar, afirmou Alencar Libânio, gerente de Planejamento, Monitoramento e Avaliação da Agência.

“A Ater atende o produtor rural nas políticas públicas, como Cadastro Ambiental Rural, Declaração de Aptidão ao Pronaf, entre outras. Quando a Anater nasceu, foi para integrar essas ações dentro do governo e, hoje, atendemos nos 27 estados mais de 90 mil unidades familiares de produção agrária e mais de mil empreendimentos da agricultura familiar.”

Segundo Libânio, apesar do trabalho que tem sido feito até o momento por todas as entidades que prestam assistência técnica, ainda existem muitos produtores sem atendimento no País.

“Temos um desafio que é ter dados integrados e unir ações para que o impacto para o produtor seja maior. Ao complementar as ações, impactaremos mais famílias e comunidades fazendo um círculo virtuoso de assistência técnica.  Precisamos aumentar a capilaridade e a capacidade de atender de forma remota e offline porque assim poderemos aumentar o número de produtores atendidos.”

O assessor técnico do Senar, Mauro Faria, que conduziu o debate, afirmou que um exemplo positivo de ação complementar entre as instituições é o programa AgroNordeste, com a junção de forças para melhorar a vida do produtor rural.

Juvenildo Juvino, gerente da ATeG no Senar Rondônia, também participou do debate e disse que o estado tem hoje 1,8 mil propriedades em atendimento e uma grande demanda.

“Como o diferencial da ATeG é a regularidade do atendimento, com um roteiro bem definido, não podemos ter mais de 30 produtores por técnico de campo para não comprometer a qualidade do atendimento. Então, temos muito mais demanda do que conseguimos oferecer, com lista de espera de produtores aguardando para serem atendidos.”

Ele acredita que fechar parcerias com empresas do setor seja uma alternativa para ampliar o atendimento dos produtores. “Podemos somar forças com laticínios, frigoríficos, que compram a matéria-prima do produtor e poderiam contribuir para levar assistência técnica a esse produtor, já que é interesse deles também melhorar a qualidade do seu produto.”

Na avaliação da coordenadora de Projetos do Senar, Bárbara Evelyn, há um público de mais de quatro milhões de propriedades rurais que não recebem orientação técnica. Esse cenário mostra que há um campo enorme de trabalho para o agro brasileiro.

“Precisamos de iniciativas de assistência técnica, especialmente desenvolvidas por entidades responsáveis e sérias, que possam prestar o suporte adequado aos produtores rurais.”

Todo o conteúdo da live está disponível em: https://bit.ly/2EAgP2J .

 

Senar destaca importância da identificação da margem bruta na atividade rural


radar cna

(30/07/2020) – Em um novo vídeo sobre gerenciamento da propriedade rural, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) destaca a importância da identificação da Margem Bruta na atividade agropecuária.

O Senar explica que a Margem Bruta é o resultado da Renda Bruta (venda da produção) obtida na atividade agropecuária menos o Custo Operacional Efetivo (COE), considerando o período analisado de um ano.

“Se a margem bruta for negativa, indica que a atividade está sendo antieconômica. A atividade está sendo inviável no curto, médio e longo prazo. Ou seja, o produtor paga para produzir”, destaca o vídeo.

Já se a Margem Bruta for igual a zero, o produtor precisa ficar alerta. “Apesar de pagar o Custo Operacional Efetivo, a Renda Bruta não paga nenhum dos custos de depreciação, mão de obra familiar e custo de oportunidade. Neste caso, a atividade pode ser inviável no médio prazo”.

Por outro lado, se a Margem Bruta for positiva, a atividade agropecuária é viável no curto prazo. “Ainda assim é importante observar os outros indicadores, como a margem líquida e o lucro.

 

Assista ao vídeo:

https://www.cnabrasil.org.br/noticias/senar-destaca-importancia-da-identificacao-da-margem-bruta-na-atividade-rural

 

Resultados do projeto Forrageiras para o Semiárido recomendam alimentação alternativa para rebanho no semiárido


Forrageiras

(24/07/2020) O Sistema CNA/Senar, por meio de seu Instituto, e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) divulgaram, na quinta (23), os resultados obtidos em duas Unidades de Referência Tecnológica (URTs) do projeto Forrageiras para o Semiárido – Pecuária Sustentável, uma em São João (PE) e Lajes (RN).

A iniciativa avalia o potencial produtivo e a adaptação das plantas forrageiras às condições climáticas do semiárido para recomendação de novas opções de fonte de alimento para os rebanhos. Os estudos foram realizados nos estados da região Nordeste e norte de Minas Gerais, em 13 URTs representativas do semiárido brasileiro.

Os resultados estão disponíveis para visualização em vídeos. Os experimentos realizados em no município de São João ocorreram a partir de experiências com gramíneas anuais e perenes, cactáceas e plantas lenhosas.

Na URT pernambucana, as variedades de milho BRS 2022 e All Bandeirante se destacaram e produtividade média de 80 toneladas de matéria natural por hectare, mesmo com precipitação abaixo da média.

Os técnicos observaram que a palma de orelha de elefante mexicana apresenta menos tempo para rebrotar e maior produtividade, com volume de 157 toneladas por hectare ao ano.

No Rio Grande do Norte, foram avaliadas em Lajes seis espécies de gramíneas perenes, quatro espécies de cactáceas e duas de plantas lenhosas.

Para as lenhosas foram analisados os cultivos das plantas Gliricídia e Leucena. Foram utilizadas plantas de 50 cm de altura, com plantio realizado no início do período chuvoso em março.

Para visualizar os resultados nesses estados, veja os vídeos:

https://www.cnabrasil.org.br/noticias/resultados-do-projeto-forrageiras-para-o-semiarido-recomendam-alimentacao-alternativa-para-rebanho-no-semiarido

Live – CNA JOVEM 2020-2021


a7e3ceb6-4ce6-45cb-bfdc-44316c7632d8

Senar PE abre inscrições para a 4ª edição do CNA Jovem


O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco (Senar/PE) abriu as inscrições para a quarta edição do CNA Jovem, programa de desenvolvimento de novas lideranças para o agro.

 A capacitação gratuita tem o objetivo de apoiar o desenvolvimento de novas lideranças para enfrentar desafios e buscar inovações para a agropecuária brasileira em cinco áreas: institucional, sindical, político-partidária, empresarial e educacional.

WhatsApp Image 2020-07-15 at 08.53.18

Para se inscrever os participantes devem ter entre 22 e 30 anos, formação técnica ou superior completa e possuir algum vínculo com o setor agropecuário, como ser filho de produtor rural, atuar no meio rural ou possuir formação na área de ciências agrárias.

O CNA Jovem foi reestruturado e traz novidades com etapas classificatórias e eliminatórias.

Para se inscrever e obter mais informações, veja o edital em: cnajovem.org.br